Cyda Pires, com o coração na boca

 

Na ultima quinta-feira, dia 27 de novembro, fui assistir ao show "Prafentex in concert" com Cyda Pyres. Ao entrar no Hipódromo Up, uma casa de espetáculos situada na zona sul do Rio de Janeiro e que se autodenomina como "lounge e boate" o clima de churrascaria invadiu minha alma, fazendo com que eu me sentisse completamente à vontade. Circulei bastante até encontrar uma mesa bem na boca de cena. Para chegar até lá foi difícil porque o local estava repleto de gente conhecida e havia uma deliciosa exposição de capas de discos da música que mais vende e toca em todo o Brasil: a tal "música brega".

A morena Cyda Pyres subiu ao palco e roubou a cena. Soltou o voz desfilando uma penca de sucessos que a platéia conhecia decor e salteado e cantou junto com a intérprete sem o menor pudor. Aliás, esse foi um show integralmente sem despudorado. Um show para lembrar aos céticos e pessimistas que a força do amor existe. E é preciso cantá-lo e chorar por ele enquanto vivermos.

O ponto alto para mim foram as interpretações de "O poder e o amor", "Do you wanna a dance?" e "Paralelas". A supresa da noite ficou para o reaparecimento de um amor inesquecível de Cyda Pyres que a havia abandonado Há anos e reapareceu quase no final do espetáculo para ajoelhar por seu perdão.

Essa semana, no Corcovado, quem abre os braços é Cyda Pyres, com o coração na boca.